quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Fim melancólico

O prefeito Silveira Júnior (PSD) caminha para um fim melancólico, politicamente falando. Tentou a reeleição, mesmo sabendo que o cenário não lhe era favorável e acabou desistindo. Falsas promessas, palavra perdida... Tudo levou Silveira à derrocada. Nem Santa Luzia escapou da sanha silveirista. Quem não se lembra dos dois lançamentos de pedra fundamental na Serra Mossoró? Tal projeto deixou a Diocese mossoroense em situação delicada... Mas são águas passadas. Urnas abertas, veio a lógica: Rosalba Ciarlini foi eleita prefeita pela quarta vez e vai administrar uma cidade caótica.

Serviços básicos estão quase inexistindo. Bom, isso sem levar em consideração a limpeza, pois o prefeito autorizou aditivo superior a R$ 2 milhões à empresa que cuida do setor. Além disso, fechou contrato superior a R$ 4 milhões à contratação de mão-de-obra terceirizada... E vem a perguntinha: onde está a crise? Será que falta dinheiro apenas para pagar aos servidores? E prestadores de serviços?

Silveira caloteou meio mundo de gente... Deixa um legado de incerteza. E tudo vai acabar caindo sobre Rosalba, já que a dívida é da Prefeitura de Mossoró. Mais dia, menos dia, cobranças judiciais e processos devem começar a aportar pelo Palácio da Resistência. E não apenas isso: a quebra de compromissos vai melar quem acreditou em alguma proposta da gestão que finda. Agências de publicidade, blogs, rádios... Todos vão penar, inclusive juridicamente.

Foi-se o tempo em que se defendia pessoas e projetos políticos à base do palavreado baixo. Os tempos são outros. Isso não vinga mais. Faz parte do passado...

Se Silveira perdeu e Rosalba ganhou, quem mais lucrou foi Tião Couto (PSDB): um desconhecido, politicamente falando, se projeta para o futuro e, se souber fazer bom trabalho, tem tudo para ocupar uma lacuna que existe em Mossoró e região. Já se fala que ele poderá entrar na disputa em 2018. Mas ainda é cedo especular. E se realmente for esse o interesse, tem mesmo que começar desde já. Afinal, uma campanha termina para outra ser iniciada.

Nenhum comentário: