sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Sempre surgirá uma pedra no caminho

Sempre aparece uma pedra no meio do caminho. Em 2012 foi assim e agora, certamente, pedras surgirão no caminho de alguém. Quem está com alguém hoje, anunciou apoio e tudo o que tem direito, foi à convenção e participou de todos os ritos que antecedem à abertura do calendário eleitoral propriamente dito, pode perfeitamente enxergar que a luz não está tão acesa ao fim do túnel.

O que o blog quer dizer é que a política tem uma peculiaridade muito forte: a dinamicidade. E assim como se tomam decisões, estas podem perfeitamente mudar de aspecto. Ou de lado. Ou conveniências... Depende, e muito, de como as coisas são observadas. Obviamente que muita água vai rolar até o primeiro ato político nas ruas.

Serão 45 dias de campanha e tudo pode acontecer. Quem hoje pensa que estaria em vantagem numérica, seja ela qual for, pode sofrer arrependimento grave mais na frente justamente por ter se jactado de algo que, definitivamente, não possuía: voto.

Não basta quantidade. É preciso qualidade. E qualidade se encontra na fidelidade de apoios, de reforço. De amizade. E em política, isto é algo que não existe. E se existe, é camuflada sob algo que é chamado de "real interesse político". O famoso "salve-se quem puder". Quem quiser refletir sobre isso, basta olhar para 2012 e tirar suas conclusões. 

Nenhum comentário: