segunda-feira, 18 de julho de 2016

É preciso falar com o coração

A campanha eleitoral deste ano, crê o blog, terá o diferencial centrado na palavra. Algo que deveria fazer parte do "cardápio" político de muita gente. Talvez, pela falta de crença em muitos, alguns acabem pagando o famoso pato. Mas deve ser assim mesmo. Afinal, quem quer voto tem que cativar o eleitor. E esse cativar só tem um meio: por meio da palavra. E é aí que está a questão, pois os eleitores de modo geral, e o titular deste espaço se insere no contexto, estão desacreditados do que ouvem. São promessas e mais promessas que acabam caindo no imaginário de quem as disse. E, apesar de não crer muito na classe política, o eleitor acaba se deixando influenciar ou se levar por algo que falta na sociedade atual: um pouco de atenção.

Entra ano, sai ano... Chega eleição, outra e mais outra... E o cidadão continua com a mesma carência. Talvez pela falta de trato com a coisa pública, pelas mazelas que afetam a sociedade de maneira geral, pela ausência de saúde, educação, segurança e agora... de dinheiro... Bom, o certo é que quem quiser fisgar um voto terá que se desdobrar.

As eleições de 2014 já foram bem claras nesse sentido. Daí se ter índice de abstenção elevado em Mossoró. Agora não vai ser diferente. O eleitor precisa de algo mais. Palavras já não bastam. É preciso ter certeza de que aquilo que está sendo dito é real. Verdadeiro. Afinal, todos podem dizer o que quiser... Difícil é fazer alguém acreditar no que está sendo dito.

Muitos candidatos não leem. Talvez nem tenham ouvido falar em Santo Agostinho ou outro teórico da Filosofia. Mas vem de Santo Agostinho um ensinamento crucial aos que querem fazer com que os outros acreditem no que está sendo dito: "o que sai do coração chega com facilidade aos outros corações". É mais ou menos desse jeito. Em outras palavras, se alguém fala alguma coisa com certeza e tem fé naquilo, quem escuta certamente acreditará. Existirá verdade.

E será essa a tarefa dos candidatos. De todos. Fazer com que o eleitor acredite que ele (candidato) é o melhor, mais preparado e que mereça um voto. Voto é confiança. Se a pessoa vota em alguém é porque, de alguma maneira, acreditou no que foi dito. E se algum candidato, de uma maneira ou de outra, não cumpre o que falou, ou seus assessores, a resposta não será outra a não ser o não-voto.

Nenhum comentário: