terça-feira, 17 de maio de 2016

Quem será o vice de quem?

A alteração no calendário eleitoral mudou algo que era certo: especular. Como em anos anteriores já se sabia, a esta altura do campeonato, quem seria o candidato e seu vice, a mudança na data para a realização das convenções partidárias é um verdadeiro martírio. De lado a lado. Fala-se muito. Especula-se muito. Diz-se o que não se sabe e o que se percebe é uma total falta de informação. Generalizada.

E os dias vão se passando sem que se tenha confirmação de alguma coisa. O que se sabe é que alguns nomes estariam definidos. Ou quase. Mas poucos têm coragem de assumir projetos que serão oficializados ainda em julho. E para uns isso seria cedo para confirmar alguma coisa.

Já se sabe que a ex-governadora e ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP) deverá ser candidata ao Palácio da Resistência. Foi dito, inicialmente, que a ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) seria sua candidata a vice. Não houve, contudo, confirmação. O blog entende que o papel de dizer alguma coisa é do PMDB.

Dias passados saiu a notícia de que o vice de Rosalba seria novidade. O blog entende que a ex-governadora não vai apostar em novidades. Até porque não acrescentaria ao projeto. E se for alguma imposição, o blog entende que não funcionará. Não agora.

Assim sendo, a novidade que poderá surgir com Rosalba seria a entrada do vereador Francisco Carlos (PP) como opção à composição da chapa ou o ex-deputado estadual Leonardo Nogueira (PMDB). Contudo, todas as apostas ainda se voltam para Fafá. Desses três deve sair o nome à chapa de Rosalba.

Do lado de Tião da Prest (PSDB), o certo é que o nome a compor a chapa seria o também empresário Jorge do Rosário. Se bem que tem a história especulativa de que o PDT poderia indicar o vereador Genivan Vale... Tudo na especulação. Até porque a chapa do PDT estaria formada: Genivan e o também vereador Tomaz Neto.

Do grupo governista, outra incógnita: não se sabe quem poderá ser o companheiro de chapa do prefeito Silveira Júnior (PSD). O PT não será. Isso é certeza. Até porque não faz sentido o Partido dos Trabalhadores voltar à ala governista depois do rompimento do vice-prefeito Luiz Carlos e da decisão petista em romper politicamente com a atual administração. Fala-se em Gutemberg Dias (PC do B) ou no reitor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pedro Fernandes, que se filiou ao PSD. Contudo, o blog não crê nessa especulação. Até porque não faz sentido o reitor deixar a Uern para ser candidato a vice-prefeito.

Nenhum comentário: