sexta-feira, 8 de abril de 2016

Governo do RN despreza professores de Filosofia

O Governo do Estado do RN deveria devolver o valor que foi pago pelos professores de Filosofia que fizeram provas do recente concurso para preenchimento de vagas na rede estadual de ensino. Da lista de convocados, nenhum profissional da área foi chamado. E olhe que foram convocados 939 professores. Como se houvesse uma espécie de boicote aos que se graduaram na disciplina.

Sim, isso mesmo. Pois é essa a sensação que os professores de Filosofia têm ao perceber que a disciplina, apesar de ser cobrada na grade curricular e ser imprescindível quando os alunos fazem a famosa prova do ENEM,, não tem o devido respaldo quando o tema é concurso público e a convocação de docentes.

Para se ter ideia, alguns professores de História e Geografia ministram aulas de Filosofia em algumas escolas da rede estadual de ensino. Não que eles não tenham capacidade para tal. Mas se o Governo do Estado lançou edital e estipulou vagas para professores de Filosofia, por quais motivos não convoca?

Se bem que um graduado em História ou em Geografia teria dificuldades em explicar a razão, a metafísica, Deus, o amor e outros temas trabalhados com viés filosófico. Do mesmo modo que um professor de Filosofia enfrentaria dificuldades em explicar assuntos geográficos e matemáticos.

Assim sendo, cada um deveria ficar no seu quadrado. E se o Governo do Estado não tem a mínima vontade de cumprir o edital, que devolva os valores pagos pelos professores de Filosofia que perderam seu tempo na prova.

Nenhum comentário: