quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Quem sabe da proposta envolvendo o Hospital da Mulher?



No vídeo acima, alguns detalhes que precisam ser esclarecidos: por quais motivos a Maternidade Almeida Castro estaria interessada em gerir o Hospital da Mulher? Com quem o presidente da Câmara Municipal falou, do Governo do Estado, e que está por dentro da proposta relacionada ao futuro do Hospital da Mulher?

E mais: se o governador Robinson Faria tomou conhecimento da proposta encaminhada à Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), por quais motivos afirmou que o Hospital da Mulher não iria fechar se existe proposta que transferiria a gestão da unidade à Maternidade Almeida Castro?

Sabe-se que a Prefeitura de Mossoró, quando se fala na Maternidade Almeida Castro, chama para si todos os êxitos (leia aqui). E um trecho das palavras do presidente da Câmara Municipal, vereador Jório Nogueira, poderia corroborar tal afirmação. Ele diz: "... houve uma proposta da Dix-sept Rosado, da Saúde, para o Governo..." Essa "Saúde" seria a Secretaria Municipal de Saúde?

É preciso explicar como seria essa proposta. E se o presidente da Câmara Municipal sabe, deveria detalhar. E dizer quem é essa tal pessoa do Governo do Estado que está por dentro da situação. Sabe ainda o pronunciamento da Secretaria Municipal de Saúde e da Maternidade Almeida Castro, já que são partes envolvidas.

Seria por conta dos valores que são pagos às cooperativas médicas? Atualmente, por algo, o Governo do Estado direciona cerca de R$ 3 milhões. A Maternidade Almeida Castro também trabalha com esta metodologia e seus custos com as cooperativas seria bem menor. Será que seria esse o acordo? Da Maternidade Almeida Castro assumir o Hospital da Mulher e reduzir os custos?

Quando se fala em reduzir custos, a primeira situação que vem à mente é o Mossoró Cidade Junina, que deveria ter recebido a menor verba da sua história e acabou sendo totalmente diferente. O evento foi descaracterizado. Será que não aconteceria o mesmo com o Hospital da Mulher?

Saliente-se que a Maternidade Almeida Castro é uma entidade filantrópica. Teria-se duas instituições filantrópicas com o mesmo fim ou o Hospital da Mulher continuaria sendo ligado ao Governo do Estado?

Como se vê, são muitas perguntas e nenhuma resposta.

Nenhum comentário: