terça-feira, 20 de outubro de 2015

Momento da decisão está mais perto que longe

Até quando os vereadores governistas vão estar em sintonia com o prefeito Francisco José Júnior (PSD)? Até quando o presidente da Câmara Municipal, Jório Nogueira (PSD), vai segurar a onda de ser o nome do governador Robinson Faria (PSD) à Prefeitura de Mossoró em 2014? Até quando o PMDB vai se manter fiel ao Palácio da Resistência? São perguntas que não se acabam e as respostas, todas, aguardam por Silveira. Se ele recuperar a imagem, a credibilidade (a qual está abalada diante de promessas anunciadas e as quais não foram cumpridas. Exemplo é o Santuário de Santa Luzia). Caso a Câmara aprove a antecipação de royalties, como planeja o prefeito, certamente ele terá recursos para propagar alguma obra com DNA próprio. Caso contrário, tudo o que se espera, inclusive da interferência do governador por estas bandas, irá pro brejo.

Vamos por etapa e a começar com Jório Nogueira: não é de hoje que o governador Robinson Faria tem deixado compreender que o presidente da Câmara Municipal seria o nome de sua preferência. Resta saber se o governador terá coragem de assumir essa predileção e comprar a briga; Robison, contudo, tem evitado tocar no assunto, pois o blog já encaminhou perguntas para sua assessoria de imprensa acerca da negatividade ronda o prefeito Silveira Júnior. Perguntou se, caso Silveira não consiga reverter o quadro, ele apoiaria Jório. O silêncio foi dado como resposta. Mas, já se diz que quem cala, consente...

Com relação aos vereadores governistas, se o prefeito não conseguir recuperar sua imagem, o destino deles será, inevitavelmente, o distanciamento. Todos os parlamentares sabem que a situação de Silveira não é boa. Isso com relação seu próprio governo, o qual está desgastado e sua equipe não consegue mudar a imagem negativa que se espalhou pela cidade e também pela zona rural. A insatisfação é geral. E o quadro se agrava em virtude da crise econômica. Sem dinheiro não se tem obra. E sem obra, todo e qualquer gestor público fica em baixa. Não consegue mostrar trabalho e ganha, fatalmente, a antipatia popular.

Se o prefeito não recuperar a imagem, obviamente que os vereadores governistas, todos, vão debandar. Afinal, chegará o momento em que será cada um por si. E, entre o projeto deles e o do prefeito, certamente que a primeira opção será a preferida. Isso se houver tempo para recuperar. Pois a situação dos governistas também não está fácil. Concorda-se com tudo. Aprova-se tudo. E a população que se dane.

O PMDB, que tem três vereadores, terá que assumir um lado. O presidente estadual do partido, ministro Henrique Eduardo Alves, já avisou que a legenda não vai estar em palanque onde o PSD estiver. Com isso, o recado foi dado. Além disso, o PMDB já tem a ex-prefeita Fafá Rosado como pré-candidata à Prefeitura de Mossoró. E até agora nenhum dos vereadores peemedebistas disse uma letrinha em prol de tal projeto. Até agora, os vereadores visam somente o lado deles. Não poderia ser diferente. Mas o momento da decisão está mais perto do que eles imaginam. Talvez até antes. E pode ser que essa tal antecipação dos royalties possa apresentar algum resquício de opinião alheia ao que quer o Palácio da Resistência.

Voltando a Jório Nogueira, o blog tem tentado entrevistá-lo, mas não tem conseguido. Nesta terça-feira, por exemplo, contato foi feito, antecipadamente, com sua assessoria. O blog solicitou conversar com o presidente da Câmara antes da sessão. Mas existe uma espécie de "passagem secreta" entre o Gabinete da Presidência e o plenário e o titular deste espaço não pôde chegar perto.

O blog queria saber do presidente se ele teria interesse na chapa majoritária, bem como saber como ele estava vendo as palavras de incentivos que partem do governador Robinson Faria. Mas o momento oportuno chegará. E se o presidente da Câmara Municipal quiser se antecipar à entrevista, pode enviar seu ponto de vista para o e-mail que se encontra na parte superior deste espaço. O blog divulgará, com certeza.

Nenhum comentário: