terça-feira, 22 de setembro de 2015

Representantes do prefeito evitam afastamento de Silveira

No momento em que a sociedade brasileira, de modo geral, espera mais transparência no trato público e que se investigue até a compra de um alfinete, Mossoró dá um passo contrário ao avanço da democracia.

Não que o prefeito Silveira Júnior tenha cometido alguma irregularidade, mas a Câmara Municipal pecou ao não permitir investigação sobre denúncia acerca de apropriação indébita de verba previdenciária, bem como do Imposto Sindical que é descontado do salário do servidor e não é repassado ao Sindiserpum.

É bom lembrar que vereador foi eleito para representar o povo. Não para representar o Executivo. Quem representa o Executivo é o prefeito. Câmara existe para fiscalizar e não para atenuar ou evitar investigação.

O titular do blog havia conversado pela manhã com alguns vereadores e já se sabia, evidentemente, que o pedido de afastamento do prefeito não iria resultar em nada. Até porque a base governista não enxergou a existência de crime de improbidade administrativa o não-repasse de verba à Previdência municipal. O blog não vai nominar nenhum parlamentar, mas não percebeu firmeza nas afirmações.

Mas é aquela coisa: a decisão de hoje refletirá no objetivo de amanhã. Talvez alguns vereadores que hoje foram contrários à investigação estejam, ano que vem, metendo o porrete de jucá nas costas de Silveira. E serão palavras que deverão ser desconsideradas. Totalmente. Pois agora afirmaram a inexistência de nenhum problema e não terão condições morais de, mais na frente, afirmarem o contrário.

Nenhum comentário: