terça-feira, 8 de setembro de 2015

PMM não tem como quitar débito com terceirizadas

Os servidores das empresas terceirizadas e que prestam serviços à Prefeitura de Mossoró que se cuidem e preparem os bolsos: a crise vai continuar. É que algumas estão com três meses sem receber o repasse da Prefeitura de Mossoró e, de acordo com o prefeito Silveira Júnior, em participação agora a pouco no programa apresentado por Jota Nobre - na Rádio Difusora - a coisa não ficará boa. Dos três meses em atraso, apenas um será quitado pela PMM.

Silveira afirmou que, com base no contrato assinado pelas empresas terceirizadas e a Prefeitura de Mossoró, caberá às empresas resolver a questão salarial. Segundo ele, o aspecto contratual determina que as empresas têm que garantir o pagamento dos servidores. Mesmo que aconteça atraso no repasse. E isso por 90 dias (três meses).

Contudo, o próprio Silveira afirmou que algumas destas empresas prestam serviços em outras cidades brasileiras. No caso da que atua em Mossoró, sua sede é no Ceará e atua em diversos municípios. Em resumo: as empresas devem ter capital de giro para pagar aos trabalhadores.

Ainda em resumo: o prefeito praticamente tirou o braço da seringa e se valeu do aspecto contratual. Mas reconheceu a dívida e afirmou que quitará um mês.

Por mês, a PMM repassa R$ 2 milhões às empresas terceirizadas e Silveira disse que Mossoró tem tido queda de receita estimada em R$ 5 milhões. "E não dá para pagar as terceirizadas. Estamos buscando caminhos. Entregamos prédios alugados, reduzimos o custeio. Reduzimos tudo o que tínhamos para reduzir", afirmou.

Bom, a certeza que se tem é que os servidores terceirizados vão continuar sem ver a cor do dinheiro. Mesmo trabalhando. O que é triste. Mas não se atrasa pagamento por capricho. Alude-se à crise, queda de receita, nisso e naquilo.

Nenhum comentário: