sexta-feira, 18 de setembro de 2015

O cidadão tem o direito de saber a verdade

O blog tem acompanhado o debate, nas redes sociais, acerca do momento administrativo por qual passa Mossoró. E tem observado que algumas pessoas insistem na tese de que o prefeito Silveira Júnior (PSD) está sendo vítima de perseguição, que determinados órgãos de comunicação estão "massacrando", que isso e aquilo. E vem o cúmulo: que serviços estariam emperrando por conta da "má vontade" da imprensa.

Bom... o blog não sabe se alguma rádio ou jornal teria esse poder, de interferir no funcionamento de serviços. Pelo que se sabe, os serviços são próprios da Prefeitura. Se estes não funcionam a contento, alguma coisa está errada. E não é culpa da imprensa, que não gerencia nenhum órgão público ou concessionária.

O que ocorre, crê o blog, é que a equipe do prefeito tem errado. E feio. E não reconhece as falhas. Fica mais fácil culpar alguém a assumir o erro. E o prefeito é quem leva a pior. Daí a onda crescente de insatisfação.

Para piorar o quadro, falta informação. O prefeito está blindado. Enclausurado por uma equipe que não permite que ninguém, nenhum repórter que não seja do círculo amistoso, se aproxime. Daí que o que vem sendo divulgado por blogs e portais, bem como de parte da imprensa, ser mera fantasia. Sim, porque cabe uma pergunta: por quais motivos apenas jornalistas ligados ao Palácio da Resistência têm "acesso" às informações?  Logicamente que estas, as informações, são "trabalhadas" para sair ao gosto do próprio Palácio. Somente isso.

A credibilidade de tais informações caem por terra. É fato!

Assim sendo, é preciso que o prefeito se abra. Que aceite as falhas e tente corrigi-las. Não se concebe mais a prática de algo danoso à democracia. Principalmente da informação. O tempo em que se escondia informações já passou. Daí que percebe-se, cada vez forte, desconforto e diferença entre o que se diz e o que se encontra nos portais da transparência. A divergência é gritante. E é preciso unificar o discurso.

A crise existe e é verdadeira. Mas não dá para aceitar a tese de que uma Prefeitura em crise vive realizando festas. É dinheiro público que poderia ser utilizado em outra área. E nem venham dizer que a verba é para aquela área e pronto. Todo mundo sabe que existe o mecanismo legal que, em outras palavras, significa transferência de recursos de um setor para outro.

É só uma questão de eleger prioridades. E em Mossoró, realizar festas tem sido uma das prioridades. Saímos do Cidade Junina para a Festa do Bode. E agora a bola da vez é a Festa da Liberdade.

Liberdade que vem sendo tolhida a cada dia. Sim, pois o cidadão tem o direito de saber o que acontece. E isso também envolve o sentido que tanto se valoriza em Mossoró: de terra libertária, corajosa e que honra seus filhos... Até agora, frise-se, algo pouco valorizado.

Nenhum comentário: