segunda-feira, 1 de junho de 2015

PMM precisa detalhar contrato com a BR-Buss

A frota dos 35 ônibus da empresa BR-Buss, sediada em São Paulo e que se "interessou" em explorar o setor em Mossoró (de transporte coletivo), não cumpriu o prazo. É que os transportes estavam previstos para chegar à cidade nesta segunda-feira. Mas, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Mossoró informou ao blog, houve um problema, o qual não foi especificado.

O certo é que os 35 ônibus chegarão em doses. Nesta terça-feira, disse a assessoria, chegarão 10 veículos. O restante deve vir em doses. Primeiramente os transportes serão adesivados. E entram em circulação no dia 10 deste mês. Mesmo dia em que os taxistas de outras cidades estão impedidos de deixarem passageiros no Centro. Se insistirem, serão multados.


Mas algo ainda não foi devidamente explicado com relação ao transporte público. Não que o blog seja contra. Mas tudo envolve, na teoria, verba pública direta ou indireta. Se for pela concessão, aí é que precisa ser mesmo. Mas não é o caso: a Prefeitura contratou, emergencialmente, tal empresa.

Mas não se sabe o teor de tal contrato, seus valores. O que cabe à Prefeitura e o que fica com a empresa. Não se sabe nadica de nada. Sabe-se, apenas que o contrato entrou em vigor no dia 30 de abril passado e valerá até outubro que vem.

Assim sendo, a Prefeitura de Mossoró estaria fazendo estardalhaço por pouca coisa. Afinal, serão apenas quatro meses. E olhe lá.

Quem vai custear a sede de tal empresa? Envolverá verba pública? Quem vai administrar? Qual a participação da Secretaria da Mobilidade Urbana?

E tem mais: onde será a sede da tal empresa em Mossoró? O prédio pertence a quem? Qual o valor do aluguel?

Como se vê, é preciso responder todas as perguntas.

Saliente-se que a modalidade do "novo" sistema de transporte público não é por concessão. É por contrato. E, o blog repete: é preciso que tudo seja devidamente explicado. "Tintinho" por tintinho".


Nenhum comentário: