quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

O ônus de quem governa é bem maior

Do discurso lido pelo governador Robinson Faria (PSD) na Assembleia Legislativa na tarde da terça-feira passada, a certeza de que muita coisa vai rolar e que o retrovisor voltará a ser usado com força. Não que isso faça parte da estratégia do governador. Mas seria algo inerente à defesa/acusação. Semelhante ao chamado efeito dominó, de que algo dito pela oposição provocaria reação quase que imediata de Robinson.

E ele emitiu sinais claros e evidentes que não vai deixar nada sem resposta. A começar por uma frase, a qual o blog destaca agora: “Não adianta querer confundir a população. Cobrar de um Governo de apenas 30 dias o que não fizeram em décadas de poder é assumir seu próprio estelionato eleitoral.”

Mais claro, impossível. A questão é que o governador sabe dos problemas que assolam o Rio Grande do Norte. E as cobranças que são feitas decorrem do que ele mesmo disse durante a campanha eleitoral do ano passado. E o interino vai se ater a apenas um aspecto do que se disse no período eleitoral.

A segurança, por exemplo, foi o que se chama de “carro-chefe”, a bandeira maior levantada pelo então candidato Robinson Faria. Ele chegou a afirmar durante suas visitas a Mossoró que iria resolver o problema da segurança na primeira semana de seu governo. Aliados do governador em Mossoró podem até soltar a verborragia e afirmar que houve avanços, que alguma ação efetiva se concretizou.

Mas a coisa não é bem assim. Só se teve a abertura de uma base de apoio à Base Integrada Cidadã (BIC) do Santo Antônio. Diz-se que 96 policiais estão nas ruas, fazendo trabalho preventivo. Sinceramente, o interino ousa discordar da realidade que se vende, pois a constatação que se faz não é essa. Pode até existir esse contingente nas ruas, mas este só aparece em fotos divulgadas pela mídia oficial.

A bandidagem está mais atuante que nunca. A criminalidade aumenta e o crime vai se organizando cada vez mais. Difícil, governador, não criticar. Difícil não cobrar. Até porque o senhor foi eleito justamente para sanar problemas que foram listados em seu palanque. Se as cobranças aparecem agora, foi justamente porque Robinson Faria vendeu bem sua imagem de candidato, de que ele seria o mais preparado e que seu plano de governo seria o mais completo para salvar o Rio Grande do Norte.

Mas é bom salientar que Robinson tem razão em um aspecto: seus maiores opositores, juntos, somam 16 anos de governo, e se cobram agora é porque realmente reconhecem que erraram.

Por outro lado, quem está no governo deve ter a ciência de que se elegeu justamente para atender demanda decorrente da incapacidade de quem lhe faz críticas hoje. Não se pode governar pensando apenas no bônus. O ônus é bem maior.

Fonte: Jornal de Fato

Nenhum comentário: