segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

José Dias entrega: governador Robinson fez acordo

Tudo se negocia em política. De apoios a cargos. Mas sempre existem casos em que alguém não cumpre o que ficou decidido. Uma prova disso está ligada à eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, ocorrida nesta terça-feira. E coube ao deputado estadual José Dias (PSD) tornar público o que se especulava: o governador Robinson Faria (PSD) "traiu" o deputado Ricardo Motta (PROS), que era candidato ao comando da AL e acabou retirando a candidatura em nome da "união" da Casa.

Segundo disse José Dias, havia acordo relacionado á aprovação da unificação dos fundos da Previdência ao pagamento de servidores e ao uso de empréstimo de R$ 850 milhões. Tudo voltado para a garantia de reeleição de Ricardo Motta. Os deputados estaduais cumpriram, mas o governador, disse José Dias, faltou com sua palavra e trabalhou para eleger Ezequiel Ferreira de Souza (PMDB) presidente da Assembleia Legislativa.

"Fui usado como instrumento", afirmou José Dias. Diante da constatação que fez, o parlamentar anunciou rompimento com o governador Robinson Faria. Saliente-se que Dias estava cotado para ser o líder do governo na Assembleia Legislativa.

A opinião do blog é a de que o governador Robinson Faria fez o mesmo que os deputados estaduais. A história de que o governo anterior havia "metido" a mão no Fundo Previdenciário cai por terra. Até porque, pelas palavras de José Dias, os deputados estaduais aprovaram tudo com um só objetivo: reconduzir Ricardo Motta à presidência da Assembleia Legislativa.

Dentre traídos e traidores, o povo sofre com a mentalidade política que cerca o Legislativo potiguar, onde interesses particulares sempre prevalece. Caso Ricardo Motta tivesse sido reeleito, ninguém jamais saberia da existência de acordos de tal proporção, no qual o uso de recursos públicos são definidos com base em acordões e acordinhos.

Aos olhos éticos, todos erraram. Ainda mais o governador Robinson Faria, que teria feito acordo para ajudar à reeleição de Ricardo Motta. Se o governador não cumpriu palavra com um deputado, o que esperar? Como o cidadão vai poder acreditar no que disser o governador? Se ele falhou com deputados, imagine com o cidadão comum.


Nenhum comentário: