terça-feira, 14 de outubro de 2014

Silveira leva vantagem até agora

Quem vencerá a disputa pelo Governo do Estado? Quem se fortalecerá, em Mossoró, para 2016? Como ficarão, depois de 26 de outubro, os alinhamentos políticos? São perguntas que passam pela cabeça de muita gente. Até agora, quem tem ficado no lucro político é o prefeito Francisco José da Silveira Júnior (PSD), que vem proporcionando contribuição considerável á candidatura de Robinson Faria (PSD) ao Governo do Estado, já que suas atuações não se restringem a Mossoró. Passam do limite geográfico. E ele tem suas razões. Afinal, é preciso o prefeito consolidar o que ele quer: ser liderança regional. Talvez para projetos futuros.

Analisando o quadro hoje, qualquer pessoa percebe que existe um clima pró-Robinson Faria. Não pelo fato de algumas adesões terem sido anunciadas - o que seria um indício de que o pessedista estaria melhor neste segundo turno. Mas porque faltou algo que levasse o eleitor a decidir a "parada" logo no primeiro turno. E essa falta foi justamente a de nomes que pudessem chamar a atenção de quem vota. Com urnas abertas no primeiro turno, percebe-se que o PT perdeu a oportunidade de chegar ao Governo do Estado. A deputada federal Fátima Bezerra (PT), eleita senadora, certamente teria chegado lá. Mas talvez o projeto nacional fosse justamente o Senado.

A ex-governadora e vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB), foi a grande derrotada. "Deixou" a oportunidade escapar entre os dedos e se perdeu em meio às palavras que lhe diziam: "Wilma se elege para qualquer cargo". E ela findou sem nenhum conquistado por seus méritos. Deve o fato de estar na Vice-Prefeitura de Natal a Carlos Eduardo Alves (PDT). E só.

Voltando a Mossoró, por estas bandas a coisa é meio esquisita. De um lado tem o prefeito Silveira Júnior, que - com todo o direito que tem - está com o peito inflado, pois conseguiu o objetivo. Se repetirá o feito agora no segundo turno, não se sabe. O que se vê, contudo, é que a campanha de Robinson deu uma esfriada em Mossoró. Talvez propositadamente, já que o candidato do PSD derrotou o candidato do PMDB, Henrique Eduardo Alves, em solo mossoroense.

O lado que Silveira está, do candidato Robinson Faria, é o mesmo em que está, indiretamente, a governadora Rosalba Ciarlini. É sabido que ela tem deixado suas bases livres para seguirem Robinson. E, por isso, já tem gente dizendo que caso Robinson Faria seja eleito, a projeção política que poderá se fazer não seria em prol de Silveira, e sim de Rosalba Ciarlini. Faz sentido? Totalmente.

Como se disse no começo desta postagem que o resultado do segundo turno leva às questões de 2016, é justamente nesse sentido: quem sai em alta? Silveira ou Rosalba? Os dois vão se aliar ou serão adversários? E ainda tem o fator relacionado ao PMDB local, que certamente apresentará candidato e tal nome seria o da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB). Sem falar no PSB, que deverá apostar suas fichas na candidatura de Larissa Rosado.

O resultado de 26 de outubro próximo, pelo menos em Mossoró, deverá apresentar parte das respostas buscadas por aqui.

Nenhum comentário: