segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Pai ou mãe da vitória de Robinson?

O que se pode creditar à governadora Rosalba Ciarlini (DEM) pela vitória de Robinson Faria (PSD) ao Governo do Estado?

Esta é a pergunta que se faz. Sabe-se que ela se manteve "neutra", mas cansou de dizer que o eleitor tinha que fazer valer sua liberdade de escolha. Evidente que ela sempre esteve contra Henrique Eduardo Alves (PMDB), e obviamente que não declarou publicamente apoio a Robinson.

Ocorre que não se pode fazer leitura apenas com o que se diz. O que se faz, principalmente nos bastidores, é o que conta. Falou-se que o ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado mantinha contato permanente com Robinson Faria. Algo que não se comprovou. Falou-se que Rosalba estaria apoiando Robinson Faria. Algo que se comprovou no dia da eleição, já que ela se deixou fotografar com um adesivo do número "55", utilizado por Robinson.

E agora? A quem creditar a vitória de Robinson?

O prefeito Francisco José Júnior (PSD) minimizou o efeito Rosalba neste segundo turno. Principalmente em Mossoró. E afirmou que ele passou quatro meses fazendo campanha. E realmente fez.

Rosalba não pôde subir em palanque algum. Esteve imobilizada por ameaças indiretas e constantes de que, se optasse por algum candidato, especificamente Robinson Faria, o processo de impeachment que tramita na Assembleia Legislativa seria agilizado.

Quem poderia responder a isso seria a própria Rosalba. Talvez o governador eleito Robinson Faria possa falar também.

Nenhum comentário: