quarta-feira, 22 de outubro de 2014

E a peleja dos apartamentos continua

E a peleja sobre os tais 98 apartamentos do "Minha Casa, Minha Vida" segue. O blog foi ver se existia alguma coisa que constasse uso de verba pública na construção do Condomínio Jangadas, em Parnamirim, e que virou motivo de acusação em propaganda eleitoral gratuita. O único achado sobre o tema está no site da Caixa Econômica Federal e relacionado ao programa habitacional mantido pelo Governo Federal, que utiliza recursos públicos que são repassados às construtoras e por medição da obra.

Mas isso não quer dizer, em absoluto, que a empresa MRV tenha utilizado recursos da Caixa Econômica Federal para construir tal condomínio. Afinal, todo e qualquer empreendimento imobiliário que possa contemplar o público do programa "Minha Casa, Minha Vida" pode, perfeitamente, se enquadrar na sistemática de financiamento habitacional por meio dos bancos.

Assim posto, o debate que se trata no programa eleitoral gratuito no Rio Grande do Norte não pode simplesmente colocar uma empresa em xeque. Até porque isso seria danoso á credibilidade da MRV. Entendeu-se, quando da veiculação da acusação de que o candidato Robinson Faria (PSD) teria sido beneficiado com apartamentos que teriam sido construídos com recursos públicos. Algo que, efetivamente, não se provou. 

Com isso, quem sai no lucro eleitoral é o próprio Robinson, que tem alardeado que seu adversário estaria tentando criar factóide para tirar proveito político. Se o candidato Henrique Eduardo Alves (PMDB) mostrar que houve investimento de verba pública na construção do condomínio Jangadas, aí sim, Robinson teria problema. Mas não se mostrou isso. Não se provou isso.



Nenhum comentário: