sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Voluntárias lançam 'Manifesto em defesa da saúde'

As voluntárias e pacientes das instituições filantrópicas (Associação de Apoio aos Pacientes com Câncer de Mossoró e Região – AAPCMR e Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer – LMECC) divulgam “Manifesto em defesa da saúde em Mossoró e região”.  O documento é rotulado de “carta à população e apelo à classe política” do Estado do Rio Grande do Norte, e é dirigido aos detentores de mandatos e candidatos nestas eleições.

No manifesto, voluntárias e pacientes trazem a público “alguns problemas” relacionados com a saúde pública de Mossoró e da região Oeste potiguar. “Aproveitando para fazer algumas interrogações aos que lidam com o tema na condição de parlamentares ou gestores públicos para que o eleitor possa com conhecimento, segurança e discernimento do voto, fazer uma escolha entre aqueles que mais se comprometem com a sociedade e lutam para transformar essa caótica situação”, cita a carta das instituições.

O documento cita a redução da oferta dos serviços e a política de concentração desses serviços numa única unidade hospitalar, alertando que essa “estratégia” poderá levar a saúde pública ao colapso. E lembra que para “salvar vidas” tem sido rotina a saída de pacientes para tratamento em outros centros urbanos, como Natal e Fortaleza. O manifesto assinado pelas voluntárias e pacientes da AAPCRM e LMECC chama a atenção também para o que define como a “arte” de fechar hospitais.

O texto faz alusão ao fechamento de hospitais como Unicárdio, Samec (hospital pediátrico). E faz algumas “perguntas necessárias” aos que querem representar o povo de Mossoró e oestano: “Quantas vezes os senhores provocaram encontros entre a Prefeitura de Mossoró, Governo do Estado e médicos de Mossoró e região para solucionar as paralisações dos serviços médicos e hospitalares nessa cidade? Por que os Senhores não lutam para aumentar o teto financeiro e melhorar um serviço de mais de 20 anos de luta e prestar um bom serviço de oncologia e prol da sociedade de Mossoró e do Oeste”, pergunta.

O manifesto defende a instalação de um hospital infantil, a reestruturação do Hospital Regional Tarcísio Maia, a reabertura da Casa de Saúde Dix-sept Rosado, colocar novos médicos a serviço da população, aumentar o teto da oncologia e valorizar os serviços já existentes e prestados no Centro de Oncologia e no Hospital da Solidariedade, entre outras ações importantes em políticas públicas de saúde.

Nenhum comentário: