quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Saúde de Mossoró está sem prumo

O Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia de Mossoró divulgou nota apontando atraso em quatro meses de pagamento salarial dos médicos que atendem na Casa de Saúde Dix-sept Rosado, sob contrato firmado entre a Prefeitura Municipal. O documento aponta ainda que o contrato expirou e que não houve interesse, por parte do Executivo, em renová-lo. Isso é só para dizer que, assim como o blog louvou a atitude da secretária municipal de Saúde, Leodise Cruz, quando do problema constatado no Hospital da Mulher e os pacientes destes (mulheres e recém-nascidos) foram transferidos para a Casa de Saúde Dix-sept Rosado, e (o blog) disse que quando vidas estão em jogo é preciso reconhecer - agora chegou a vez de cobrar da Prefeitura de Mossoró a sua parte: vidas estão em jogo e é preciso sanar a questão apontada pelo Núcleo de Ginecologia.

Além disso, outro fator que assola a saúde de Mossoró está no princípio da área. Dizem que o tratamento e prevenção de doenças começa nas Unidades Básicas de Saúde. E, por isso, deveriam ter olhar diferenciado de quem manda. Acontece que quem precisa, quem sofre o colapso da saúde brasileira, enfrenta dificuldades. A começar por não saber a quem recorrer para ajudar ou resolver algum problema.

O blog explica: algumas Unidades Básicas de Saúde estão sem comando. E isso desde julho passado. Em decreto publicado em 7 daquele mês, o prefeito de Mossoró exonerou todos os detentores de cargos comissionados. A nomeação saiu no chamado "conta gotas". Mas ainda tem Unidades Básicas sem direção. É o caso das UBS Sinharinha Borges e Ildone Cavalcante, ambas localizadas no bairro Barrocas.

E o pior: os comissionados que foram exonerados, alguns deles, continuaram dando seu expediente e sequer receberam algum comunicado da Secretaria Municipal de Saúde sobre o futuro deles no serviço público. Tem gente que, mesmo exonerado e a pedido de alguém da Secretaria, trabalhou o mês de julho todinho e não viu a cor do dinheiro. Tampouco o nome estampado no Jornal Oficial do Município.

Algo, crê o blog, passível de apuração pelo Ministério Público, Câmara Municipal e o Sindsaúde. O que o blog está afirmando pode ser conferido diretamente nas Unidades Básicas de Saúde. Basta olhar os livros de ponto para constatar que servidores exonerados continuaram trabalhando e não tiveram nenhuma notícia se ficariam, se retornariam ou se o trabalho foi voluntário.

Uma tremenda falta de respeito aos profissionais e, acima de tudo, ao cidadão que precisa trabalhar para pagar suas contas no final do mês. E este chega e não traz nenhuma notícia sobre pagamento. Ou se o exonerado vai permanecer, se está descartado...

Nenhum comentário: