sábado, 12 de maio de 2012

PT mossoroense não se intimida com ameaça da nacional e marca convenção


A resolução que a executiva nacional do Partido dos Trabalhadores anunciou na quinta-feira passada, 10, não foi suficiente para frear as pretensões políticas do diretório do PT de Mossoró. Pela resolução, diretórios em cidades que tenham mais de 200 mil habitantes devem, antes de registrar suas candidaturas, passar pelo crivo do diretório nacional.

O presidente do PT, Rui Falcão, foi bem claro quando citou Mossoró e Duque de Caxias (RJ) e evidenciou sobre a possibilidade real de intervenção. Ontem, e depois de ter debatido o tema na noite da quinta-feira, o diretório local divulgou nota, na qual se mostra disposto a partir para a briga judicial, e marcou data da convenção que oficializará a candidatura do reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), professor Josivan Barbosa de Menezes, à Prefeitura de Mossoró.

Segundo a nota assinada pelo presidente do PT municipal, Valdomiro Morais, a legenda mossoroense cumpriu todo o calendário eleitoral interno e optou pela candidatura de Josivan Barbosa. Diz ainda que ofício será encaminhado à Justiça Eleitoral requerendo o dia 10 de junho para realizar a sua convenção.

“Assim, o PT de Mossoró tem garantido uma postura sempre democrática e firme, afastando-se de qualquer forma de intervenção não legítima ou qualquer outra que se insurja no processo de escolha de candidatos legalmente previsto em seu estatuto, razão essa que encoraja seus bravos companheiros a seguir em frente com vistas a uma sociedade cada vez mais justa.”

Para o pré-candidato Josivan Barbosa, a resolução do PT nacional não “mata” a candidatura mossoroense, e afirmou que o diretório local fará o registro do seu candidato, mesmo sem o aval do PT nacional. “Acredito que o partido vai tomar a decisão de registrar a candidatura sem a homologação (da executiva nacional). É no que acredito.”

Perguntado se o assunto seria resolvido via judicial, Josivan Barbosa não quis comentar essa possibilidade e disse que o assunto será discutido pelo diretório local. “Não posso dizer a você isso agora porque o assunto será objeto de plenária do partido. Vou defender o registro da pré-candidatura porque, como único pré-candidato, cumpri todas as exigências do partido até agora.”

O petista disse ainda que, diante do que está sendo posto, não existe espaço para recuo por parte do PT mossoroense e afirmou: “Não vejo espaços para recuo. Não vejo. Hoje não há nenhuma tentativa, nesse sentido, de recuo. A decisão pela manutenção da pré-candidatura foi por unanimidade.”

Josivan comentou que a situação pela qual passa o PT de Mossoró se deve à particularidade de o PSB mossoroense contar com a filha da deputada federal Sandra Rosado – líder do PSB na Câmara Federal – como pré-candidata.

“Acredito que o que está acontecendo é da insistência e da coincidência de a filha da líder do PSB na Câmara Federal ser a candidata. Se não tivesse isso aí, não teríamos nenhum tipo de conflito”, disse, acrescentando que existe pressão de Sandra Rosado: “Não tenho dúvida. E foi o próprio Frateschi (Paulo Frateschi, secretário da executiva nacional petista) que colocou. Ele disse que a insistência da deputada federal Sandra Rosado é coisa assustadora.”

Fonte: Jornal de Fato

Nenhum comentário: