terça-feira, 15 de maio de 2012

PT de Mossoró se unirá ao de Duque de Caxias para ter força


O PT de Mossoró voltou a se dividir entre a candidatura própria e a aliança com o PSB. O resultado de consulta realizada em março passado, a qual apontou pelo nome de Josivan Barbosa de Menezes à Prefeitura de Mossoró, chegou a ser apoiado pelas quatro correntes interna da legenda, mas agora duas (Democracia Socialista e Movimento PT) voltaram a defender apoio ao PSB.

Diante disso, e pelo quadro exposto pela executiva nacional, que quer excluir candidaturas em Mossoró e Duque de Caxias (RJ) em troca do apoio do PSB à candidatura de Fernando Haddad (PT) em São Paulo, os petistas de Mossoró se unirão aos de Duque de Caxias para pressionar o diretório nacional e evitar que o calendário da legenda, já cumprido pelos dois diretórios, seja desconsiderado.

Ontem, o jornalista Crispiniano Neto, que integra o diretório de Mossoró, informou que os petistas de Duque de Caxias queriam juntar as forças. “A gente entrou em contato com eles e ficamos sabendo que eles queriam o mesmo: unir forças. Eles estão firmes e vão resistir até o final. Lá em Duque de Caxias, a tese da candidatura própria venceu com maioria de 10 votos”, disse. Em Mossoró, a proposta de candidatura venceu por cinco votos.

Segundo Crispiniano, os petistas de Duque de Caxias já foram aliados do PSB. “Eles já estiveram com o PSB e não gostaram”, afirmou. A petista Benedita da Silva, ex-governadora do Rio de Janeiro, é a favor da candidatura própria.

Para Crispiniano, o discurso de petistas da DS e do Movimento PT mudou. Disse que quando o secretário do PT nacional, Paulo Frateschi, veio ao Rio Grande do Norte, representantes das duas correntes externaram apoio à manutenção da candidatura própria. “Agora ficou claro que as duas correntes estão torcendo pela intervenção”, afirmou.

“O PT está rachado e quem tiver mais força vencerá. Esse pessoal (das correntes Democracia Socialista e Movimento PT) vão se render e estão achando bom. Estão traindo o discurso”, comentou Crispiniano.

NOTAS
O diretório local do PT emitiu três notas oficiais na semana passada. Na primeira, o presidente da legenda, Valdomiro Morais, anunciou a convenção do partido para 10 de junho. Essa informação foi refutada em segunda nota, na qual Valdomiro afirmou que não teria autorizado a divulgação do documento. Na terceira, Valdomiro informou que a convenção iria se realizar em 16 de junho.

Sandra Rosado: ‘não vou discutir sobre ameaça’

A deputada federal Sandra Rosado, líder do PSB na Câmara Federal e articuladora da pré-candidatura da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) à Prefeitura de Mossoró, preferiu não atiçar os ânimos do PT mossoroense. É que o sindicalista Gilberto Diógenes, em recente entrevista ao programa televisivo “Cenário Político”, afirmou que o “PT será elemento destruidor da campanha de Larissa” se houver intervenção da executiva nacional.

No mesmo dia da entrevista de Gilberto Diógenes, na sexta-feira passada, Sandra Rosado postou, em sua conta pessoal do Twitter, que os entendimentos estavam avançados entre PSB e PT. No sábado, a deputada disse ao JORNAL DE FATO: “As conversas políticas de Lula e Eduardo Campos têm se tornado estreitas e profundas. Temos dialogado, de forma que procuramos dar apoio a um governo que vem atendendo à população”, comentou.

Sobre a ameaça feita por Diógenes, Sandra disse: “Não vou discutir sobre ameaça, porque quero a construção de Mossoró digna. Que as políticas públicas sejam executadas e gostaria de me deter a esse comentário. Com relação ao PT, fico feliz, porque não é a maioria. Li uma nota do PT na construção de um momento e de respeito ao que determinou o diretório nacional e que certamente será apreciado no dia 18. 

O que estou dizendo não é verdade. PSB e PT, bem como outros partidos da base, temos responsabilidade grande. O que Lula fez e o que Dilma está fazendo tem que se renovar com novos prefeitos. Queremos fazer uma grande aliança em Mossoró com os partidos que constroem um  Brasil diferente.”

A pré-candidata Larissa Rosado seguiu o raciocínio da mãe, Sandra Rosado, e comentou: “O PT, quando decidiu pela candidatura própria, ficou rachado. É um problema dentro do PT e não cabe a mim opinar, discutir ou resolver. Estamos caminhando com a nossa pré-candidatura. Considero a presença do PT importante para que cheguemos mais fortes no dia da eleição.”

Sobre o nome do candidato a vice-prefeito, Larissa Rosado comentou que a definição ocorrerá no mês de junho. Segundo ela, o nome será discutido entre os partidos que anunciaram apoio, bem como com os que virão a lhe apoiar. “Já temos apoio de sete, e teremos novidades na próxima semana. Novos partidos vão anunciar. Concluindo essa fase de apoio, vamos discutir o vice.”

Fonte: Jornal de Fato

Nenhum comentário: