domingo, 6 de maio de 2012

Frateschi 'morde e alisa' PT de Mossoró


A entrevista do secretário do PT nacional, Paulo Frateschi, publicada hoje no Jornal de Fato, esclarece pouco sobre o que ocorrerá com o diretório municipal do Partido dos Trabalhadores. Acompanhe abaixo o que ele falou acerca do entendimento político com o PSB e tire suas conclusões:


O que existe de concreto no apoio do PT ao PSB?
Houve uma reunião do presidente do PSB (Eduardo Campos) com o presidente do PT (Rui Falcão), com a presença do ex-presidente Lula, em São Bernardo do Campo.
Nesta reunião, para fecharmos um acordo nacional, o PSB pediu o apoio do PT à sua candidata em Mossoró, a deputada estadual Larissa Rosado

Esse apoio passa pela retirada de algumas candidaturas já pré-definidas. No caso de Mossoró, não seria prejuízo para o PT?
O PT é um Partido nacional. Temos uma tática eleitoral nacional para as eleições municipais de 2012.

Se o PSB queria apoio do PT, por quê o partido pessebista não manteve os petistas como aliados?
Insisto que estamos avaliando o caso do ponto de vista da nossa tática nacional e que sem dúvida precisaríamos de uma aliança com o PSB no município de Mossoró, para podermos avançar.

O senhor acha que a retirada da candidatura petista à Prefeitura de Mossoró será melhor para o PT?
É o que o Diretório Nacional irá avaliar caso resolva avocar a questão.

Existe uma pré-definição acerca dos entendimentos pró-aliança PT/PSB em Mossoró?
Não.

A interferência que se vislumbra pelo diretório nacional não fragiliza a executiva municipal?
Não faremos nada antes de uma profunda discussão com o Diretório Municipal, que é legitimo e não fez nada de errado. Nós respeitamos a instância municipal.

O senhor acredita que o apoio do PT à candidatura do PSB levará a oposição à vitória?
É evidente que se o PT vier a apoiar o PSB, as chances de vitória são reais.

A realidade política de São Paulo, por mais importante que seja a composição dos aliados, deve realmente influenciar em outras cidades?
As negociações em São Paulo estão avançando e o cenário é positivo. Estamos também levando em consideração que o PSB é o partido que mais apoia candidaturas do PT nas grandes cidades. É bom lembrar também que o DEM é o nosso maior adversário e que Mossoró é a última grande cidade do Brasil que ele governa.

Caso o diretório mossoroense não siga as diretrizes da executiva nacional, o que pode acontecer?
Nós vamos trabalhar muito com o DM de Mossoró. Respeitamos o processo de escolha da instancia municipal. Os petistas de Mossoró merecem nosso respeito e consideração. O que está em discussão é a construção da tática nacional.

Essa imposição não caracterizaria o retorno do "coronelismo" político?
Esta ilação não tem fundamento na realidade política de Mossoró e do Brasil. Jamais seria uma imposição, mas sim, uma decisão de um partido nacional.

Nenhum comentário: