quarta-feira, 25 de abril de 2012

Ricardo Motta tem dever moral de explicar finanças da AL

O que você faria com R$ 15 milhões/mês? Certamente, mil e uma coisas. E é com esse pensamento que o blog pergunta à Assembleia Legislativa: o que é feito com essa verba? Há quase um mês que este espaço manteve contato com a assessoria de imprensa da AL e solicitou algumas informações. Até agora, nada foi enviado (veja aqui).


O certo é que a dinheirama consumida mensalmente pela Assembleia Legislativa requer informações e cabe ao seu presidente, deputado estadual Ricardo Motta (PMN), o dever moral de apresentar as devidas respostas, já que a assessoria de imprensa da Casa não o fez.

Respostas sobre a "Verba Paletó" ou o 14º salário pago aos deputados estaduais, por exemplo. Além disso, o pagamento de "despesas variáveis" necessita de maiores esclarecimentos, pois o Portal da Transparência que consta do site da AL (www.al.rn.gov.br) não contém informações sobre quais seriam essas despesas. (veja aqui e aqui ).

Somente este mês, a Assembleia Legislativa direcionou mais de R$ 1 milhão para os deputados, sendo R$ 549.557,52 para "Atividades Legislativas" e mais R$ 534.294.72 para a "Manutenção e Funcionamento dos Gabinetes". Aí a dúvida: o que seriam essas atividades legislativas? Estariam ligadas ao mandato dos deputados estaduais? E a manutenção dos gabinetes envolve o quê? Salário de assessores?

Como se vê, são dúvidas que permeiam a Casa Legislativa do Rio Grande do Norte e as quais são acrescidas de mais questionamentos com o fato da AL dispor de uma verba anual de 197,43 milhões. Destes, a Casa já consumiu R$ 61.328.833,99 em quatro meses. Ou seja, de janeiro a abril (até hoje), a Assembleia Legislativa custou 31,06%.

Dividindo-se o valor consumido pelos quatro meses de 2012, chega-se a um resultado exorbitante: por mês, a Assembleia Legislativa custou R$ 15.332.208,49. Isso mesmo: a Casa "torrou" mais de R$ 15 milhões. Some-se aí o salário dos 24 deputados estaduais, verba de gabinete e ressarcimento. Além das "despesas variáveis", as quais não são especificadas no Portal da Transparência.

Nenhum comentário: