quarta-feira, 18 de abril de 2012

Perguntas sobre finanças da ALRN ficam sem respostas

Parece que a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte tem algo a esconder com relação à sua movimentação financeira. Há exatos 19 dias que o blog enviou algumas perguntas à Assessoria de Imprensa da Casa, mas até agora nenhum sinal de visa foi retornado. Com isso, abre-se a especulação de que a AL quer manter sua "Caixa Preta" intocável.

Todas as perguntas enviadas pelo blog têm base no que está no Portal da Transparência da Assembleia. Exceto a informação relacionada à "verba de paletó", cujo tema foi informado ao blog por um assessor de determinado deputado estadual.

Estranha a posição da Assembleia. Veja o que o blog escreveu sobre o assunto aqui e aqui.

Abaixo, as perguntas enviadas à Assessoria de Imprensa da Assembleia Legislativa, as quais não foram respondidas.



. Consta do Portal da Transparência da AL que o gasto com a manutenção da casa, em março, foi de R$ 5.273.828,07. Desses, 2.049.430,00 são de “outras despesas variáveis”. Quais seriam essas outras despesas?
  
. Quanto custa um deputado por mês?

 . Quanto a AL recebe do Governo para a sua manutenção?

 . No Portal da Transparência consta também a informação de que do pagamento de R$ 538.837,03 em indenizações e restituições. Aos deputados?

 . O Regimento constante do site da AL mostra que cada deputado teria direito à ajuda de custo anual, auxílio para despesas de moradia, ajuda de custo anual (somada com o salário e o complemento moradia) e verba de gabinete. Procede?
  
. Ainda no Regimento, o presidente da Casa teria direito à gratificação de representação igual ao salário mensal. Ricardo Motta recebe?
  
. A verba de gabinete é de R$ 24.254,38?

 . Dessa verba, o teto limite para custear escritórios em Natal seria de R$ 16 mil?

 . O que corresponde ao pagamento anual (em dezembro) de 14.975,88 a cada deputado estadual?

Nenhum comentário: