sexta-feira, 20 de abril de 2012

Frateschi afirma que não citou Sandra em reunião com petistas

O secretário da executiva nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Paulo Frateschi, entrou em contato com o blog para esclarecer assunto veiculado neste espaço (aqui), acerca da posição relacionada à candidatura própria do partido à Prefeitura de Mossoró, a qual está dependendo de definições que envolvem o PSB.

Frateschi negou que tenha afirmado aos petistas do Rio Grande do Norte que o pedido para que o PT retirasse a candidatura de Josivan Barbosa de Menezes para apoiar o projeto da deputada estadual pessebista Larissa Rosado tivesse partido da deputada federal Sandra Rosado, líder do PSB na Câmara Federal.

A afirmação de que o pedido teria partido da liderança do PSB da Câmara dos Deputados partiu de Josivan. Ele disse que Frateschi teria feito esse esclarecimento na reunião ocorrida em Natal, dias passados.

"Estamos em fase de negociação e precisamos acabar com esse mal entendido", disse Frateschi, acrescentando que a negociação está sendo feita entre os diretórios nacionais a partir de uma conversa envolvendo o presidente do PSB, governador pernambucano Eduardo Campos, e o presidente do PT nacional, Rui Falcão.

Ele disse ainda que respeita a decisão do PT de Mossoró e teria avisado aos "companheiros" mossoroenses que ele poderia avocar a direção nacional petista para definir o assunto. "É uma questão de prática nacional, pois Mossoró é a única cidade das 118 com mais de 150 mil eleitores que é administrada pelo DEM. Mossoró é uma cidade importante e diz respeito à prática nacional", afirmou.

O secretário do PT descartou intervenção no diretório de Mossoró, mas avisou que o assunto será discutido pela executiva nacional em maio.

Portanto, o PT de Mossoró ainda pode ser penalizado e não seguir com a candidatura própria.

Nenhum comentário: