quarta-feira, 18 de abril de 2012

De chiliques e queimações no PMDB

"Só não será quem pensa que vai ser". Foram as palavras da presidente do diretório peemedebista de Mossoró, ex-vereadora Izabel Montenegro, sobre as especulações feitas acerca do candidato a vice-prefeito da chapa governista à Prefeitura de Mossoró este ano. Percebe-se claramente que Izabel estava falando do ex-secretário Alex Moacir (PMDB - nome mais comentado para ser o companheiro d candidato do DEM - ao conceder entrevista ao vespertino Correio da Tarde.

Ora, se Izabel disse que as lideranças estaduais do PMDB ainda não definiram o candidato a vice-prefeito, como é que ela saberia quem não seria candidato? Perguntinha complicada, pois a resposta pode estar na própria presidente local do PMDB: ela quer ser a indicada. Pelejou para cair nas graças do Democratas, mas a sua saída da Funger foi desastrosa devido ao discurso que fez na despedida.

Di-ze por aí que Montenegro estaria arrependida por ter saído da Funger e estava querendo retornar ao cargo. Ora, pois. Por essa ninguém esperava. Se ela saiu 'cuspindo no prato que comeu', por quais motivos queria retornar? Complicado. Muito complicado. E também difícil que a prefeita Fafá Rosado aceite tal maquinação.

Ocorre que Izabel Montenegro, a exemplo dos vereadores Claudionor dos Santos, Daniel Gomes e Manoel Bezerra de Maria, bem como ex-vereadores, está penando para se livrar do estigma da Operação Sal Grosso. O julgamento popular foi feito em 2008 e agora teme-se que outra punição venha das urnas. Daí a suposta vontade de Montenegro retornar à Funger.

Quanto a tentar melar o nome de Alex Moacir, isso não teria partido de agora. Por sinal, depois que Izabel saiu da Funger foi que o deputado federal Henrique Eduardo Alves, presidente estadual do PMDB, "soltou as cachorras" via Twitter e exigiu que o candidato do PMDB seja indicação dos peemedebistas.

Claro, lógico e evidente que não basta apenas o PMDB indicar. o DEM tem que aceitar a indicação. Afinal, o Democratas não correrá o risco de acatar um vice que não acrescente nadica de nada à chapa pelo simples fato de se ter os tremeliques de Isabel e a intolerância da executiva estadual peemedebista.

A chapa, crê o blog, deve ser casadinha. Com um candidato ou candidata popular e com um vice igualmente bem avaliado pela população.

Nenhum comentário: