sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Josivan reage à proposta do PSB

O PSB ainda não desistiu de contar com o apoio do PT à candidatura da deputada estadual Larissa Rosado ao Palácio da Resistência. A tática agora se volta ao discurso de manter a base aliada da presidente Dilma Rousseff (PT) unida em Mossoró.

Uma reunião realizada na tarde da quarta-feira passada, da qual participaram o vereador Lairinho Rosado – presidente local do PSB – e Pedro Almeida, bem como a executiva local do Partido dos Trabalhadores, o assunto foi posto.

Ontem o reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) e pré-candidato a prefeito do PT, professor Josivan Barbosa de Menezes, disse que o PSB quer liderar o movimento (da base unida) para beneficiar Larissa Rosado. Ele afirmou ainda que não se pode partir da premissa de unir a base sem que nenhuma reunião tivesse ocorrido antes para discutir quem seria o candidato.

“A base aliada nunca discutiu quem seria o candidato. A família (com relação à Sandra Rosado) já saiu da eleição passada sabendo quem seria o candidato em 2012. Como agora pensa em discutir com a base aliada?”, questionou Josivan Barbosa, acrescentando: “os partidos aliados são no plano nacional. Aqui a coisa é diferente”, disse.

Josivan Barbosa disse que está disposto a conversar com todos os partidos – exceto com o PSDB e com o DEM. Disse que, apesar de haver um indicativo de que o PDT indicará o candidato a vice-prefeito (no caso o empresário Rútilo Coelho), o PT pode alterar essa composição. “O PSB pode indicar o vice”, comentou, acrescentando que até agora somente o PDT não teve dúvidas do projeto petista. “A chapa está sinalizada e estamos conscientes de que a qualquer hora pode haver nova negociação.”


Nessa negociação, o pré-candidato do PT não descarta uma conversa com o Partido Verde (PV), presidido em Mossoró pelo secretário municipal da Cidadania, professor Francisco Carlos. Josivan Barbosa afirmou ainda que está focado na questão da chapa majoritária e que o PT precisa avançar na pré-campanha. 


Diante disso, ele voltou a dizer que não existe mais tempo para pensar na proposta do PSB.

“Não há mais espaço para este tipo de debate, de união da base aliada. Toda a movimentação de reunião deles, pela unificação da base, não vai derrubar a decisão do PT. Aliás, nenhuma reunião derruba a decisão da plenária (do PT)”, disse.


O PT realizou duas plenárias em 2011. A primeira foi em junho, quando o nome de Josivan foi apresentado, e a decisão foi ratificada em setembro. “Só quem derruba (a decisão) é outra plenária”, afirmou.

 

Ajuda

O reitor da Ufersa raciocina que o grupo liderado pela deputada federal Sandra Rosado foi quem mais colaborou com o Democratas em Mossoró. Disse que nas últimas quatro eleições o grupo sandrista já saiu com um nome definido e partirá para o quinto pleito usando a mesma estratégia.


“Na eleição para o Senado, com certeza os eleitores de Larissa votaram em Rosalba. Como ela pôde obter 88% dos votos? No ano passado, ela (Sandra) traiu o PT, não aceitou o nosso candidato (Hugo Manso) e apoiou Garibaldi (Filho), que era aliado do DEM. Agora querem cobrar sobre união da base”, comentou o reitor.

 

Calendário


Como não existe nenhuma possibilidade de retroceder no projeto petista, Josivan Barbosa disse que já fez a solicitação à executiva municipal para elaborar um calendário eleitoral. Para ele, é importante que o partido tenha seu cronograma definido antes do dia 30 de março. “O calendário dirá, por exemplo, até que dia algum filiado pode contestar a resolução que apontou para a nossa pré-candidatura.”

Nenhum comentário: