segunda-feira, 10 de outubro de 2011

COLUNA

O cenário político mossoroense continua embolado. Principalmente com relação ao grupo governista. A peleja sobre a renúncia da prefeita Fafá Rosado (DEM) é a principal arma utilizada pela oposição, que se vale do artifício da incerteza para dar robustez à pré-candidatura da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) à Prefeitura de Mossoró.

É sabido que o governismo desponta com dois nomes em evidência e um terceiro a ser posto na labuta política a qualquer momento. A vereadora Cláudia Regina (DEM) e a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM) aguardam a decisão do presidente local do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado. A segunda precisa de uma operação minuciosa e bem arquitetada e a qual depende da renúncia de Fafá Rosado, que tem afirmado, continuamente, que cumprirá seu mandato até o dia 31 de dezembro de 2012. A primeira tem se projetado e continuado a pavimentação do alicerce rumo ao Palácio da Resistência. Para as duas, um só problema: a decisão de Carlos Augusto.

Fafá Rosado e o deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) afirmam que a decisão sobre o nome caberá a governadora Rosalba Ciarlini (DEM). Rosalba já emitiu sinais claros que deseja a irmã, Ruth Ciarlini, como candidata. Mas não depende apenas da sua vontade. É preciso arregimentar apoios e deixar a vice-prefeita mais robusta politicamente. Esse é o desafio. Cláudia, por sua vez, estaria mais forte do que Ruth, mas precisa de mais. Especificamente, da simpatia e do aval da governadora.

Larissa Rosado tem compreendido essa configuração do cenário político governista e usa as armas que tem: projeta-se como um nome que poderia ter o aval de Rosalba e de Carlos Augusto, dando sinais de que a união da família Rosado seria possível. Faz parte de uma estratégia que pode ganhar corpo.

Na outra rabeira da oposição, o reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), professor Josivan Barbosa de Menezes (PT), também usa as armas que dispõe: o discurso de bom gestor tem sido propagada aos quatro cantos de Mossoró. Contudo, o discurso antirrosadista é velho. Esse marketing não colou em eleições passadas.

 A bancada governista na Assembleia Legislativa tem que mostrar serviço nesta terça-feira, 11. É que o projeto enviado pela governadora Rosalba Ciarlini sobre pedido de empréstimo de US$ 540 milhões ao Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), finalmente, vai ser apreciado pelo plenário da Casa. É a chamada "prova de fogo" para os deputados que dão sustentação ao governo democrata. Rosalba aguarda a decisão da AL nos Estados Unidos. A Assembleia decidirá o projeto no mesmo dia em que a governadora tem agendada reunião com a diretoria do BIRD.

Nenhum comentário: