quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Casa de Saúde Dix-sept Rosado à beira da falência

“A Apamim (órgão que gerencia a Casa de Saúde Dix-sept Rosado) está quebrada e tem um déficit de R$ 5 milhões a R$ 10 milhões e não tem condições de funcionar. Tenho documentos suficientes para pedir a interdição, mas quem perderia era a população”. A afirmação foi feita hoje pela promotora da Saúde Ana Ximenes, durante reunião no Palácio da Resistência com a prefeita Fafá Rosado, deputado estadual Leonardo Nogueira, secretário Francisco Carlos e o gerente Benjamim Bento, além dos auditores do Conselho Municipal de Saúde.

A promotora foi mais além e disse dispor de toda a documentação que mostra a decadência financeira da instituição. Segundo ela, uma das saídas para a crise por qual passa a Casa de Saúde controlada pelo ex-deputado federal Lahyre Rosado (PSB) seria o Governo do Estado e a Prefeitura de Mossoró assumirem a responsabilidade da instituição.

Ana Ximenes afirmou ainda que Lahyre Rosado teria externado interesse em passar o "abacaxi" para o Governo do Estado. 

A discussão toda foi originada pelo relatório feito por auditores do Conselho Municipal de Saúde, cujo documento aponta falhas para o não-credenciamento de novos três leitos de UTI Neonatal na Casa de Saúde Dix-sept Rosado.

Diante do que foi exposto na reunião de hoje, dificilmente o Governo do Estado assumirá o comando da Casa de Saúde Dix-sept Rosado. O passivo financeiro da instituição surge como principal entrave para esse entendimento.

O certo é que, se Lahyre Rosado está disposto a se livrar do problema, fica evidente que o jogo político que vem sendo feito, de tentar colocar a opinião pública contra o Executivo municipal não passa de falácia. É que a diretoria do complexo da Apamim tem tentado, sistematicamente, culpar a Prefeitura pelo caos vivenciado na Casa de Saúde Dix-sept Rosado.

Na reunião de hoje, a promotora Ana Ximenes afirmou ainda que o ex-deputado estaria depressivo. "Ele sofreu algumas condenações e isso foi desagradável para ele", disse.

Além do caos financeiro e da ameaça de interdição por parte do Ministério Público, a Casa de Saúde Dix-sept Rosado enfrenta mais outro problema: pedido de intervenção pelo Ministério do Trabalho.



Nenhum comentário: