segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Grupos silenciam para evitar desgastes

Dia desses um colega falou sobre o silêncio que impera com relação á sucessão da prefeita Fafá Rosado (DEM). Ninguém fala mais nada. O silêncio, contudo, é aparente. Nos bastidores a coisa ferve, como se diz. Lógico que nenhum dos envolvidos quer se apressar e colocar a "carroça na frente dos bois". É preciso paciência para esperar as decisões.

E aí entra a questão: o fator "esperar" pode causar prejuízos grandes para alguns. Uns até que suportam, mas a paciência não é para todos. Claro que é uma das táticas da política. Ao se amornar a discussão, espera-se que uns ou alguns "metam os pés pelas mãos" e cometam gafes que podem arruinar qualquer projeto político.

No agrupamento político governista o silêncio é quase sepulcral. 2012 é um assunto que ninguém sabe e ninguém viu. Pela oposição, o mesmo quadro. A deputada estadual Larissa Rosado (PSB), nome tido como definido, se esquiva de falar sobre decisões.

É a mesma coisa de sempre: esperar, esperar e esperar.

Acontece que a situação não está assim tão morna nos bastidores. O PT e o PSB, apesar de aparecerem distantes politicamente e com projetos distintos (cada qual com um pré-candidato), caminham para repetir a chapa de 2008.

Foi o que o blog captou em recente conversa com um petista mossoroense. E faz sentido.

A oposição sabe que se sair dividida terá remotas chances de pressionar e, com isso, o Democratas elegerá o prefeito ou prefeita sem maiores dificuldades.

Porém, tudo depende de como será a definição do grupo governista. Ou sobre quem será o nome que disputará a Prefeitura de Mossoró. É claro que existem candidatos para todos os gostos, resta saber qual deles teria maior viabilidade eleitoral para tal.

Nenhum comentário: